O seu carrinho de compras está vazio

Loja

Quantidade: 0

Total: 0,00

0

Formas de relevo eólicas nos desertos

Formas de relevo eólicas nos desertos

O vento, como força externa, desempenha um papel importante na formação do relevo dos desertos.

Geografia

Palavras-chave

vento, relevo, deserto, duna, areia, erosão, rocha cogumelo, mesa, superfície, forças externas, oásis, geografia física, geomorfologia, geografia

Itens relacionados

Cenas

Formas de relevo eólicas

  • deserto rochoso - Também chamado de hamada. É um planalto desértico coberto de rochas onde há pouca areia devido à deflação.
  • deserto pedregoso - Também chamado de reg ou serir. É uma área lisa coberta de rochas e pedras onde a atividade erosiva do vento é dominante. É o tipo de deserto mais comum.
  • deserto arenoso - Também chamado de erg. A deposição de sedimentos é aqui dominante. 30% das áreas desérticas da Terra pertencem a este tipo.
  • área arenosa de livre movimento - É uma área desértica quase sem ou sem vegetação nenhuma.

Os processos eólicos dependem de certas condições relacionadas com o clima, a vegetação e a geologia. O vento forma a superfície da Terra mais eficientemente nas regiões de clima árido onde a vegetação é escassa e a superfície está coberta de pequenos grãos de sedimentos. Estas regiões incluem as áreas desérticas, semidesérticas, glaciais, costeiras ou semicobertas de vegetação.

O vento, mesmo quando atinge uma alta velocidade, é capaz de transportar apenas pequenos grãos de areia que não alcançam os 2 mm de diâmetro. As partículas maiores são transportadas à superfície mediante rolamento, as mais pequenas mediante saltação (pulando no chão) e as menores mediante suspensão no ar. O vento transporta mediante saltação a maioria das partículas, as quais geralmente não se elevam a uma altura maior do que 10 cm.

O vento realiza uma ação erosiva e sedimentária nos desertos. A erosão pode acontecer de várias maneiras. Uma forma de erosão eólica é a deflação, que acontece quando o vento levanta as partículas de areia do solo, resultando na formação de pequenas ou grandes bacias, chamadas bacias de deflação. Outra forma da erosão é a abrasão, durante a qual a areia transportada pelo vento erode as rochas, enquanto os grãos de areia também se erodem no processo. Isto resulta na formação de rochas cogumelo, chaminés de fadas, rochas de esfinge e também mesas e planaltos.

Quando o vento acaba de soprar, deposita os sedimentos transportados formando diversos relevos. Este processo chama-se acumulação eólica. As formas de relevo eólicas de livre movimento ocorrem onde não há vegetação. Estas incluem as dunas longitudinais, as de estrela, os barkhans em forma de crescente e as dunas transversais, que são barkhans unidos lateralmente.

As superfícies desérticas e semidesérticas ocupam uma grande parte da superfície terrestre. Quase um terço das áreas desérticas está coberto de areia. Os desertos arenosos pertencem às áreas de uma superfície que se altera rapidamente. A erosão eólica e o avanço da areia constituem problemas graves na Terra: a areia pode cobrir os oásis, terras aráveis e estradas, sendo que o vento erode a superfície, destruindo assim os territórios agrícolas. Devido às alterações do clima, cada vez mais áreas tornam-se áridas e perdem a vegetação (desertificação), tornando-se assim mais vulneráveis à erosão de vento.

Transporte de areia

  • suspensão - É desta forma que as partículas menores do que 0,08 mm são transportadas pelo vento.
  • saltação - As partículas movem-se numa série de saltos. A maioria dos sedimentos é transportada desta maneira.
  • rolamento - Cerca de 20% dos sedimentos são transportados desta maneira.
  • 10 cm

Erosão

  • deserto rochoso - Também chamado de hamada. É um planalto desértico coberto de rochas onde há pouca areia devido à deflação.
  • deserto pedregoso - Também chamado de reg ou serir. É uma área lisa coberta de rochas e pedras onde a atividade erosiva do vento é dominante. É o tipo de deserto mais comum.
  • bacia de deflação - Depressão formada pela deflação.
  • montículo - Forma de relevo inclinada de uma superfície plana formada pela erosão de uma mesa.
  • mesa - Pequeno planalto formado pela abrasão. Consiste de rochas mais duras e é delimitada por uma inclinação acentuada.
  • rocha de esfinge - Esta forma de relevo aerodinâmica forma-se a partir de penhascos íngremes. A atividade abrasiva do vento é mais eficaz perto do fundo do penhasco, pelo que esta parte da rocha erode mais rapidamente. A sua extremidade mais alta, ou seja, a sua 'cabeça', está localizada no lado exposto ao vento.
  • rocha cogumelo - Esta forma de relevo consiste de rochas heterogéneas. A maior parte é também a parte mais dura, semelhante ao chapéu de um cogumelo, encontrando-se sobre uma base que é o seu caule.
  • chaminé de fada - Formação bastante articulada, formada pela abrasão do vento. Ao longo das rachaduras das rochas mais resistentes formam-se valas.
  • areia grossa

Deposição

  • deserto arenoso - Também chamado de erg. A deposição de sedimentos é aqui dominante. 30% das áreas desérticas da Terra pertencem a este tipo.
  • areia fina
  • oásis - Quando a deflação alcança o nível da água subterrânea, não vai mais fundo. Uma fonte ou um lago aparece no fundo da bacia, o que torna possível a formação de vegetação.
  • dunas transversais - Estas dunas formam-se nas áreas arenosas mediante a união lateral de barkhans. Têm uma altura de alguns metros e a distância entre as cristas é de algumas centenas de metros.
  • dunas em estrela - Estas dunas têm um ponto central, ou seja, o ponto mais alto onde as cristas dos braços destas dunas se encontram. As dunas são formadas consoante a direção de vento.
  • dunas longitudinais - É o tipo mais comum das dunas dos desertos arenosos. São dunas paralelas à direção do vento dominante. Têm um comprimento entre centenas de metros e vários quilómetros, e uma altura de dezenas de metros. Os ventos desérticos permanentes transformam-se em vórtices paralelos em forma de espiral, os quais eliminam a areia dos corredores entre as dunas, depositando-a nos canais protegidos do vento.
  • barkhans - Estas dunas formam-se nas áreas com limitado fornecimento de areia. O seu lado convexo levemente inclinado enfrenta a direção do vento, enquanto a inclinação mais acentuada, ou seja, a face de sotavento, é protegida do vento. Têm uma altura entre dezenas de centímetros e dezenas de metros. Podem avançar vários metros por ano sem alterar a sua forma.

Desertos

Animação

  • deserto rochoso - Também chamado de hamada. É um planalto desértico coberto de rochas onde há pouca areia devido à deflação.
  • deserto pedregoso - Também chamado de reg ou serir. É uma área lisa coberta de rochas e pedras onde a atividade erosiva do vento é dominante. É o tipo de deserto mais comum.
  • deserto arenoso - Também chamado de erg. A deposição de sedimentos é aqui dominante. 30% das áreas desérticas da Terra pertencem a este tipo.
  • área arenosa de livre movimento - É uma área desértica quase sem ou sem vegetação nenhuma.
  • suspensão - É desta forma que as partículas menores do que 0,08 mm são transportadas pelo vento.
  • saltação - As partículas movem-se numa série de saltos. A maioria dos sedimentos é transportada desta maneira.
  • rolamento - Cerca de 20% dos sedimentos são transportados desta maneira.
  • 10 cm
  • deserto rochoso - Também chamado de hamada. É um planalto desértico coberto de rochas onde há pouca areia devido à deflação.
  • deserto pedregoso - Também chamado de reg ou serir. É uma área lisa coberta de rochas e pedras onde a atividade erosiva do vento é dominante. É o tipo de deserto mais comum.
  • bacia de deflação - Depressão formada pela deflação.
  • montículo - Forma de relevo inclinada de uma superfície plana formada pela erosão de uma mesa.
  • mesa - Pequeno planalto formado pela abrasão. Consiste de rochas mais duras e é delimitada por uma inclinação acentuada.
  • rocha de esfinge - Esta forma de relevo aerodinâmica forma-se a partir de penhascos íngremes. A atividade abrasiva do vento é mais eficaz perto do fundo do penhasco, pelo que esta parte da rocha erode mais rapidamente. A sua extremidade mais alta, ou seja, a sua 'cabeça', está localizada no lado exposto ao vento.
  • rocha cogumelo - Esta forma de relevo consiste de rochas heterogéneas. A maior parte é também a parte mais dura, semelhante ao chapéu de um cogumelo, encontrando-se sobre uma base que é o seu caule.
  • chaminé de fada - Formação bastante articulada, formada pela abrasão do vento. Ao longo das rachaduras das rochas mais resistentes formam-se valas.
  • areia grossa
  • deserto arenoso - Também chamado de erg. A deposição de sedimentos é aqui dominante. 30% das áreas desérticas da Terra pertencem a este tipo.
  • areia fina
  • oásis - Quando a deflação alcança o nível da água subterrânea, não vai mais fundo. Uma fonte ou um lago aparece no fundo da bacia, o que torna possível a formação de vegetação.
  • dunas transversais - Estas dunas formam-se nas áreas arenosas mediante a união lateral de barkhans. Têm uma altura de alguns metros e a distância entre as cristas é de algumas centenas de metros.
  • dunas em estrela - Estas dunas têm um ponto central, ou seja, o ponto mais alto onde as cristas dos braços destas dunas se encontram. As dunas são formadas consoante a direção de vento.
  • dunas longitudinais - É o tipo mais comum das dunas dos desertos arenosos. São dunas paralelas à direção do vento dominante. Têm um comprimento entre centenas de metros e vários quilómetros, e uma altura de dezenas de metros. Os ventos desérticos permanentes transformam-se em vórtices paralelos em forma de espiral, os quais eliminam a areia dos corredores entre as dunas, depositando-a nos canais protegidos do vento.
  • barkhans - Estas dunas formam-se nas áreas com limitado fornecimento de areia. O seu lado convexo levemente inclinado enfrenta a direção do vento, enquanto a inclinação mais acentuada, ou seja, a face de sotavento, é protegida do vento. Têm uma altura entre dezenas de centímetros e dezenas de metros. Podem avançar vários metros por ano sem alterar a sua forma.

Narração

Os processos eólicos dependem de certas condições relacionadas com o clima, a vegetação e a geologia. O vento forma a superfície da Terra mais eficientemente nas regiões de clima árido onde a vegetação é escassa e a superfície está coberta de pequenos grãos de sedimentos. Estas regiões incluem as áreas desérticas, semidesérticas, glaciais, costeiras ou semicobertas de vegetação.

O vento, mesmo quando atinge uma alta velocidade, é capaz de transportar apenas pequenos grãos de areia que não alcançam os 2 mm de diâmetro. As partículas maiores são transportadas à superfície mediante rolamento, as mais pequenas mediante saltação (pulando no chão) e as menores mediante suspensão no ar. O vento transporta mediante saltação a maioria das partículas, as quais geralmente não se elevam a uma altura maior do que 10 cm.

O vento realiza uma ação erosiva e sedimentária nos desertos. A erosão pode acontecer de várias maneiras. Uma forma de erosão eólica é a deflação, que acontece quando o vento levanta as partículas de areia do solo, resultando na formação de pequenas ou grandes bacias, chamadas bacias de deflação. Outra forma da erosão é a abrasão, durante a qual a areia transportada pelo vento erode as rochas, enquanto os grãos de areia também se erodem no processo. Isto resulta na formação de rochas cogumelo, chaminés de fadas, rochas de esfinge e também mesas e planaltos.

Quando o vento acaba de soprar, deposita os sedimentos transportados formando diversos relevos. Este processo chama-se acumulação eólica. As formas de relevo eólicas de livre movimento ocorrem onde não há vegetação. Estas incluem as dunas longitudinais, as de estrela, os barkhans em forma de crescente e as dunas transversais, que são barkhans unidos lateralmente.

As superfícies desérticas e semidesérticas ocupam uma grande parte da superfície terrestre. Quase um terço das áreas desérticas está coberto de areia. Os desertos arenosos pertencem às áreas de uma superfície que se altera rapidamente. A erosão eólica e o avanço da areia constituem problemas graves na Terra: a areia pode cobrir os oásis, terras aráveis e estradas, sendo que o vento erode a superfície, destruindo assim os territórios agrícolas. Devido às alterações do clima, cada vez mais áreas tornam-se áridas e perdem a vegetação (desertificação), tornando-se assim mais vulneráveis à erosão de vento.

Itens relacionados

Oásis

Os oásis são zonas em desertos onde existe água.

Zonas térmicas da Terra

A Terra encontra-se dividida em zonas geográficas e térmicas (climáticas).

Circulação atmosférica

A diferença de temperatura entre as zonas polar e equatorial resulta na circulação atmosférica, que é influenciada também por diversos outros fatores,...

Como se formam os mares e a superfície terrestre?

A água do mar, como força externa, assume um papel importante na formação da costa.

Os rios e a formação do relevo

Os rios têm um papel importante na formação da superfície da Terra: provocam erosão, transportam e depositam sedimentos.

A vida e o desenvolvimento dos lagos

As águas paradas podem ser formadas nas depressões dos terrenos por ambas as forças internas e externas da Terra, bem como pela atividade humana.

Estação de energia eólica

As estações de energia eólica convertem energia cinética em eletricidade.

Formas de relevo eólicas nas costas e nas estepes

O vento, como uma força externa, desempenha um papel importane na formação do relevo das costas e das estepes.

Geleira (intermédio)

A geleira é uma grande massa de gelo formada de neve e que se desloca lenta e permanentemente.

Moinho de vento

O moinho de vento transforma a energia eólica em trabalho mecânico e pode ser utilizado para diferentes tipos de trabalho.

Dromedário

Também conhecido por camelo árabe, o dromedário é uma animal bastante valioso e indispensável para os habitantes do deserto.

Escorpião de cauda grossa

O androctonus australis é um dos escorpiões mais perigosos do mundo.

Acampamento beduíno

O estilo de vida seminômade dos beduínos teve de se adaptar às condições climáticas e ambientais do deserto.

Added to your cart.