O seu carrinho de compras está vazio

Loja

Quantidade: 0

Total: 0,00

0

Cometas

Cometas

Os cometas são corpos celestes que orbitam o sol.

Geografia

Palavras-chave

asteróide, meteoro, cometa, Halley-üstökös, Halley, astronomia, Sistema Solar, nube de Oort, cinturão de asteróides, corpo celeste, Cintura de Kuiper, investigação espacial, órbita ao redor do Sol, espaço, física, Sol, geografia

Itens relacionados

Cenas

Sistema Solar

  • cometa
  • Nuvem de Oort - Uma "nuvem" esférica que forma o limite mais externo do nosso Sistema Solar. É composto de bilhões de cometesimais.
  • Cintura de Kuiper - Cinturão de asteróides situado além das órbitas dos planetas gigantes do Sistema Solar.

De tempos em tempos, podemos observar fenômenos espetaculares ocorrendo no Sistema Solar. Isso inclui a aparição dos cometas. Os cometas são corpos celestes visíveis da Terra a olho nu. No entanto, eles só aparecem no céu periodicamente.

Cometas

  • cabeça - O coma e o núcleo juntos formam a cabeça do cometa.
  • cauda de gás - A cauda longa e reta do cometa se alinhava ao longo da linha Sol-Cometa. É composto de gases liberados do núcleo.
  • cauda de poeira - O rabo curvo e curto do cometa. Consiste em partículas de poeira expulsas do núcleo pelos gases expelidos.
  • vento solar

Os cometas são constituídos por um núcleo, um coma e uma cauda. Eles são compostos pelas substâncias mais antigas do Sistema Solar. Eles foram formados quando parte do material da Nebulosa Solar foi expelida para as regiões externas do Sistema Solar, onde a temperatura era baixa o suficiente para que os gases congelassem e, assim, cimentassem restos de rochas e partículas de poeira. Os núcleos dos cometas são mantidos unidos pelo gelo de água e outros compostos de carbono congelados, têm por isso uma forma irregular e uma crosta porosa. Por essa razão, os núcleos de cometas são freqüentemente chamados de 'bolas de neve sujas'.

Quando um cometa passa pelo Sol, alguns dos gases congelados em seu núcleo são sublimados, ou seja, entram na fase gasosa, lançando partículas de poeira à medida que escapam. É assim que o coma, o envelope atmosférico do núcleo do cometa é formado. Cada vez que o cometa passa pelo Sol, perde parte de seu material e, eventualmente, desaparece.

O vento solar empurra as partículas de gás e poeira diretamente para longe do Sol, formando assim a cauda do cometa. Os cometas têm duas caudas: a cauda reta mais longa é composta de gases, enquanto a cauda mais curta e curva é composta de partículas de poeira. As partículas de gás na cauda de gás estão no estado ionizado, portanto emitem luz azulada; enquanto as partículas na cauda de poeira (ou antitail) refletem a luz do Sol. É por isso que a cauda de poeira parece brilhante e amarelada.

Órbitas

  • Cintura de Kuiper - Cinturão de asteróides situado além das órbitas dos planetas gigantes do Sistema Solar.
  • cometa de curto período - Os planos orbitais desse tipo de cometas são semelhantes ao plano de simetria do Sistema Solar. Eles têm períodos orbitais com menos de 200 anos e se originam no cinturão de Kuiper.
  • cometa de longo período - Esses cometas têm períodos orbitais superiores a 200 anos, chegando a vários milhões de anos. Eles se originam na nuvem de Oort.
  • parte da órbita próxima ao Sol

Os cometas se originam geralmente nas duas regiões mais distantes do Sistema Solar externo: no cinturão de Kuiper e na nuvem de Oort. Devido à instabilidade gravitacional nessas regiões, qualquer tipo de perturbação pode resultar em um cometa deixando sua órbita e começando a se mover em direção ao Sistema Solar interno.

Dependendo de sua órbita, os cometas podem ser classificados como de curto ou longo prazo. Os cometas de curto período se originam no cinturão de Kuiper e seu período orbital é inferior a 200 anos, ou seja, eles retornam ao Sistema Solar interno com relativa frequência. Os cometas de longo período, no entanto, se originam na nuvem de Oort e seu período orbital varia entre 200 e vários milhões de anos.

Cometa Halley

  • Sol
  • Júpiter
  • Saturno
  • Urano
  • Netuno
  • Cometa Halley - Tem um período orbital de 75,3 anos. Foi observado pela última vez na Terra em 1986 e aparecerá em 2061. É considerado o primeiro cometa a ser observado.
  • parte da órbita próxima ao Sol

O cometa Halley é o primeiro cometa a ser observado pelo homem. Durante sua aproximação do Sol, pode ser observado a olho nu. Cometa de curto período, com período orbital de 75 anos, ficou visivel da terra a última vez em 1986. Assim, só retornará em 2061.

Durante sua aparição em 1986, várias sondas espaciais estudavam o cometa. De acordo com os dados coletados, seu núcleo de 15x15x8 quilômetros é constituído principalmente por gelo de água e está coberto por uma crosta fina e escura.

Cometa 67P/Churyumov–Gerasimenko

  • Sol
  • Terra
  • Marte
  • Júpiter
  • Saturno
  • Urano
  • Netuno
  • Cometa 67P/Churyumov–Gerasimenko - Atualmente, tem um período orbital de 6,5 anos. Foi descoberto em 1969. É o primeiro cometa a ser orbitado e visitado por uma sonda terrestre.

O cometa 67P / Churyumov-Gerasimenko provavelmente se originou no cinturão de Kuiper, mas sua órbita foi bastante modificada pela gravidade de Júpiter. Atualmente, está orbitando o Sistema Solar interno e tem um período orbital de 6,5 anos.

A forma de seu núcleo se assemelha à de um pato de borracha, pois consiste em dois pedaços maiores conectados por um pescoço estreito. Uma quantidade significativa de vapor d'água escapa de sua superfície quando o cometa passa pelo sol. Foi o primeiro cometa no qual os instrumentos de medição pousaram.

Gravidade de Júpiter

  • Cometa Shoemaker–Levy - Foi descoberto em 1993. Ele provavelmente começou a orbitar Júpiter nos anos 70, quando a gravidade do planeta o capturou. A gravidade de Júpiter o despedaçou, provavelmente, em 1992. As partes do cometa colidiram com o hemisfério sul do planeta em julho de 1994.

A massa de Júpiter é grande o suficiente para modificar as órbitas dos cometas provenientes das regiões ultraperiféricas do Sistema Solar ou mesmo para atraí-los para seu próprio campo gravitacional, protegendo os planetas internos de colidirem com cometas. Um dos cometas capturados por Júpiter foi o Shoemaker-Levy, descoberto em 1993. Começou a orbitar Júpiter provavelmente na década de 1970, quando a gravidade do planeta o capturou. Ele se fragmentou em vários pedaços, pois foi separado pela gravidade de Júpiter em 1992. Os pedaços então colidiram com o hemisfério sul do planeta em julho de 1994.

Cometa, asteróide, meteoróide

  • cometa - Um objeto celestial que consiste em poeira e gelo. Quando passa próximo ao Sol, forma uma cauda.
  • asteróide - Objeto celestial com diâmetro maior que 1 km, mas menor que um planeta.
  • meteoróide - Objetos no espaço menores que asteróides. Quando colidem com a superfície da Terra, são chamados de meteoritos.
  • meteoro - Um fenômeno de luz produzido por um meteoróide que atinge a atmosfera da Terra. É popularmente conhecido como uma estrela cadente.
  • meteorito - Fragmento de um meteoróide que colidiu com a superfície da Terra e sobreviveu ao impacto.

Muitos de nós não sabe a diferença entre cometas, asteróides e meteoroides.

A cauda que se forma perto do Sol é uma das características dos cometas. Asteróides, que são similares em tamanho, não têm caudas. Sua composição física também é diferente, devido ao seu local de formação. Asteróides foram formados perto do Sol, enquanto cometas foram formados longe dele.

Os meteoróides são menores que os cometas e asteróides, mas maiores que as partículas de poeira interplanetárias. Quando eles entram na atmosfera da Terra, eles interagem com as partículas do ar. O fenômeno da luz resultante é o que chamamos de meteoro, ou 'estrela cadente'. Se um meteoróide não queima completamente na atmosfera, atinge a superfície da Terra como meteorito.

Narração

De tempos em tempos, podemos observar fenômenos espetaculares ocorrendo no Sistema Solar. Isso inclui a aparição de cometas. Tratam-se de corpos celestes visíveis da Terra a olho nu. No entanto, eles só aparecem no céu periodicamente.

Eles são compostos pelas substâncias mais antigas do Sistema Solar. Os núcleos dos cometas são mantidos unidos pelo gelo de água e outros compostos de carbono congelados, têm por isso uma forma irregular e uma crosta porosa. Por essa razão, os núcleos de cometas são freqüentemente chamados de 'bolas de neve sujas'.

Quando um cometa passa pelo Sol, alguns dos gases congelados em seu núcleo são sublimados, ou seja, entram na fase gasosa, lançando partículas de poeira à medida que escapam. É assim que o coma, o envelope atmosférico do núcleo do cometa é formado.

O vento solar empurra as partículas de gás e poeira diretamente para longe do Sol, formando assim a cauda do cometa. Os cometas têm duas caudas: a cauda reta mais longa é composta de gases, enquanto a cauda mais curta e curva é composta de partículas de poeira. As partículas de gás na cauda de gás estão no estado ionizado, portanto emitem luz azulada; enquanto as partículas na cauda de poeira (ou antitail) refletem a luz do Sol. É por isso que a cauda de poeira parece brilhante e amarelada.

Dependendo de sua órbita, os cometas podem ser classificados como de curto ou longo prazo. Os cometas de curto período se originam no cinturão de Kuiper e seu período orbital é inferior a 200 anos, ou seja, eles retornam ao Sistema Solar interno com relativa frequência. Os cometas de longo período, no entanto, se originam na nuvem de Oort e seu período orbital varia entre 200 e vários milhões de anos.

O cometa Halley é o primeiro cometa a ser observado pelo homem. Durante sua aproximação do Sol, pode ser observado a olho nu. Cometa de curto período, com período orbital de 75 anos, ficou visivel da terra a última vez em 1986. Assim, só retornará em 2061.

Durante sua aparição em 1986, várias sondas espaciais estudavam o cometa. De acordo com os dados coletados, seu núcleo de 15x15x8 quilômetros é constituído principalmente por gelo de água e está coberto por uma crosta fina e escura.

O cometa 67P / Churyumov-Gerasimenko provavelmente se originou no cinturão de Kuiper, mas sua órbita foi bastante modificada pela gravidade de Júpiter. Atualmente, está orbitando o Sistema Solar interno e tem um período orbital de 6,5 anos.

A forma de seu núcleo se assemelha à de um pato de borracha, pois consiste em dois pedaços maiores conectados por um pescoço estreito. Uma quantidade significativa de vapor d'água escapa de sua superfície quando o cometa passa pelo sol. Foi o primeiro cometa no qual os instrumentos de medição pousaram.

A massa de Júpiter é grande o suficiente para modificar as órbitas dos cometas provenientes das regiões ultraperiféricas do Sistema Solar ou mesmo para atraí-los para seu próprio campo gravitacional, protegendo os planetas internos de colidirem com cometas. Um dos cometas capturados por Júpiter foi o Shoemaker-Levy, descoberto em 1993. Começou a orbitar Júpiter provavelmente na década de 1970, quando a gravidade do planeta o capturou. Ele se fragmentou em vários pedaços, pois foi separado pela gravidade de Júpiter em 1992. Os pedaços então colidiram com o hemisfério sul do planeta em julho de 1994.

Muitos de nós não sabe a diferença entre cometas, asteróides e meteoroides. A cauda que se forma perto do Sol é uma das características dos cometas. Asteróides, que são similares em tamanho, não têm caudas. Sua composição física também é diferente, devido ao seu local de formação. Asteróides foram formados perto do Sol, enquanto cometas foram formados longe dele.

Os meteoróides são menores que os cometas e asteróides, mas maiores que as partículas de poeira interplanetárias. Quando eles entram na atmosfera da Terra, eles interagem com as partículas do ar. O fenômeno da luz resultante é o que chamamos de meteoro, ou 'estrela cadente'. Se um meteoróide não queima completamente na atmosfera, atinge a superfície da Terra como meteorito.

Itens relacionados

Formação da Terra e da Lua

Esta animação demonstra como a Terra e a Lua foram formadas.

O ciclo de vida do Sistema Solar

O Sol e os planetas formaram-se há 4.500 Bilhões de anos, após o colapso gravitacional de uma nuvem de poeira.

Planetas, dimensões

Os planetas interiores do sistema solar são planetas terrestres, enquanto os exteriores são gigantes gasosos.

O sistema solar; órbitas planetárias

As órbitas dos 8 planetas do nosso Sistema Solar são elípticas.

O Sol

O diâmetro do Sol é cerca de 109 vezes maior do que o da Terra. A maior parte de sua massa consiste em hidrogênio.

A missão Dawn

Estudar Ceres e Vesta nos ajudará a aprender mais sobre o início da história do Sistema Solar e como os planetas rochosos são formados.

Fatos Astronômicos Curiosos

Esta animação apresenta vários fatos curiosos na área da astronomia.

Júpiter

Júpiter é o maior planeta do Sistema Solar, com duas vezes e meia a massa de todos os outros planetas juntos.

Observatório

Os observatórios são frequentemente construídos em pontos elevados para minimizar os efeitos da turbulência atmosférica.

Leis de Kepler do movimento planetário

As três importantes leis que descrevem o movimento planetário foram formuladas por Johannes Kepler.

Leis do movimento de Newton

Esta animação mostra as três leis do movimento de Isaac Newton que estabeleceram as bases da mecânica clássica.

Added to your cart.