O seu carrinho de compras está vazio

Loja

Quantidade: 0

Total: 0,00

0

Camada de ozônio

Camada de ozônio

A camada de ozônio filtra a radiação ultravioleta nociva do Sol, sendo indispensável para a vida na Terra.

Geografia

Palavras-chave

camada de ozono, molécula de ozono, radiação ultravioleta, escudo protetor, UVA, UVC, UVB, oxigénio, molécula de oxigénio, buraco de ozono, troposfera, estratosfera, mesosfera, biologia, geografia, química

Extras relacionados

Cenas

Camada de ozônio

  • troposfera
  • estratosfera
  • mesosfera
  • camada de ozônio
  • 50 - 80 km
  • 12 - 50 km
  • 0 - 12 km
  • 15 -30 km

O ozônio é uma molécula triatômica que consiste de três átomos de oxigênio. É um gás tóxico.

Na presença de água, as moléculas de oxigênio atmosférico dividem-se em átomos de oxigênio pela radiação ultravioleta de onda curta. As moléculas de oxigênio unem-se com átomos de oxigênio, produzindo oxigênio. A troposfera também contém uma certa quantidade de ozônio, mas o gás encontra-se em grandes quantidades a uma altitude entre 15 e 30 km, na camada de ozônio. A importância desta camada é filtrar a maioria da radiação ultravioleta do Sol, que seria prejudicial para os seres vivos. Também reflete o calor irradiado pela Terra, desempenhando um papel de regulação térmica da Terra.

O ozônio divide-se em átomos de oxigênio e em moléculas de oxigênio por radiação ultravioleta de onda larga ou por radiação de luz visível com a ajuda de CFCs. Quando a quantidade de ozônio diminui na camada, a capacidade da atmosfera de proteger contra a radiação ultravioleta também diminui. Este fenômeno é conhecido como "buraco" na camada de ozônio.

Com a passagem do tempo, a densidade do ozônio na atmosfera varia em lugares distintos.

O ozônio é produzido sobretudo na camada de ozônio sobre a zona tropical. A partir de Março, é transportado até latitudes mais elevadas. No hemisfério Norte, pode viajar até ao Polo Norte, enquanto no hemisfério sul apenas chega às latitudes entre 50º e 60º, devido às forte correntes em redor do Polo Sul.

A partir de Novembro, a densidade começa a descer gradualmente no hemisfério Sul (visto que aí é verão e a radiação é cada vez maior). A camada de ozônio pode ficar tão fina que o escudo protetor da Terra pode se partir. No entanto, depois de Março, mais e mais ozônio é produzido (visto que a radiação diminui).

O desgaste da camada de ozônio é um processo natural. No entanto, se o ozônio continuar a decompor-se devido à acumulação de CFCs, o buraco se tornará tão grande que será cada vez mais difícil recuperá-lo.

A camada de ozônio atuando como filtro protetor

  • radiação ultravioleta
  • UV-A
  • UV-B
  • UV-C
  • camada de ozônio
  • O₂ -> O₃
  • O₃ -> O₂

O ozônio é uma molécula triatômica que consiste de três átomos de oxigênio. É um gás tóxico.

Na presença de água, as moléculas de oxigênio atmosférico dividem-se em átomos de oxigênio pela radiação ultravioleta de onda curta. As moléculas de oxigênio unem-se com átomos de oxigênio, produzindo oxigênio. A troposfera também contém uma certa quantidade de ozônio, mas o gás encontra-se em grandes quantidades a uma altitude entre 15 e 30 km, na camada de ozônio. A importância desta camada é filtrar a maioria da radiação ultravioleta do Sol, que seria prejudicial para os seres vivos. Também reflete o calor irradiado pela Terra, desempenhando um papel de regulação térmica da Terra.

O ozônio divide-se em átomos de oxigênio e em moléculas de oxigênio por radiação ultravioleta de onda larga ou por radiação de luz visível com a ajuda de CFCs. Quando a quantidade de ozônio diminui na camada, a capacidade da atmosfera de proteger contra a radiação ultravioleta também diminui. Este fenômeno é conhecido como "buraco" na camada de ozônio.

Com a passagem do tempo, a densidade do ozônio na atmosfera varia em lugares distintos.

O ozônio é produzido sobretudo na camada de ozônio sobre a zona tropical. A partir de Março, é transportado até latitudes mais elevadas. No hemisfério Norte, pode viajar até ao Polo Norte, enquanto no hemisfério sul apenas chega às latitudes entre 50º e 60º, devido às forte correntes em redor do Polo Sul.

A partir de Novembro, a densidade começa a descer gradualmente no hemisfério Sul (visto que aí é verão e a radiação é cada vez maior). A camada de ozônio pode ficar tão fina que o escudo protetor da Terra pode se partir. No entanto, depois de Março, mais e mais ozônio é produzido (visto que a radiação diminui).

O desgaste da camada de ozônio é um processo natural. No entanto, se o ozônio continuar a decompor-se devido à acumulação de CFCs, o buraco se tornará tão grande que será cada vez mais difícil recuperá-lo.

Absorção de UV-C e UV-B

  • molécula de oxigênio
  • radiação UVC
  • molécula de ozônio
  • Decomposição da molécula de oxigênio.
  • O átomo de oxigênio une-se à molécula de oxigênio, formando ozônio.
  • radiação UVB
  • Decomposição da molécula de ozônio.
  • O átomo de oxigênio e a molécula de ozônio transformam-se em moléculas de oxigênio.

O ozônio é uma molécula triatômica que consiste de três átomos de oxigênio. É um gás tóxico.

Na presença de água, as moléculas de oxigênio atmosférico dividem-se em átomos de oxigênio pela radiação ultravioleta de onda curta. As moléculas de oxigênio unem-se com átomos de oxigênio, produzindo oxigênio. A troposfera também contém uma certa quantidade de ozônio, mas o gás encontra-se em grandes quantidades a uma altitude entre 15 e 30 km, na camada de ozônio. A importância desta camada é filtrar a maioria da radiação ultravioleta do Sol, que seria prejudicial para os seres vivos. Também reflete o calor irradiado pela Terra, desempenhando um papel de regulação térmica da Terra.

O ozônio divide-se em átomos de oxigênio e em moléculas de oxigênio por radiação ultravioleta de onda larga ou por radiação de luz visível com a ajuda de CFCs. Quando a quantidade de ozônio diminui na camada, a capacidade da atmosfera de proteger contra a radiação ultravioleta também diminui. Este fenômeno é conhecido como "buraco" na camada de ozônio.

Com a passagem do tempo, a densidade do ozônio na atmosfera varia em lugares distintos.

O ozônio é produzido sobretudo na camada de ozônio sobre a zona tropical. A partir de Março, é transportado até latitudes mais elevadas. No hemisfério Norte, pode viajar até ao Polo Norte, enquanto no hemisfério sul apenas chega às latitudes entre 50º e 60º, devido às forte correntes em redor do Polo Sul.

A partir de Novembro, a densidade começa a descer gradualmente no hemisfério Sul (visto que aí é verão e a radiação é cada vez maior). A camada de ozônio pode ficar tão fina que o escudo protetor da Terra pode se partir. No entanto, depois de Março, mais e mais ozônio é produzido (visto que a radiação diminui).

O desgaste da camada de ozônio é um processo natural. No entanto, se o ozônio continuar a decompor-se devido à acumulação de CFCs, o buraco se tornará tão grande que será cada vez mais difícil recuperá-lo.

Redução da camada de ozônio

O ozônio é uma molécula triatômica que consiste de três átomos de oxigênio. É um gás tóxico.

Na presença de água, as moléculas de oxigênio atmosférico dividem-se em átomos de oxigênio pela radiação ultravioleta de onda curta. As moléculas de oxigênio unem-se com átomos de oxigênio, produzindo oxigênio. A troposfera também contém uma certa quantidade de ozônio, mas o gás encontra-se em grandes quantidades a uma altitude entre 15 e 30 km, na camada de ozônio. A importância desta camada é filtrar a maioria da radiação ultravioleta do Sol, que seria prejudicial para os seres vivos. Também reflete o calor irradiado pela Terra, desempenhando um papel de regulação térmica da Terra.

O ozônio divide-se em átomos de oxigênio e em moléculas de oxigênio por radiação ultravioleta de onda larga ou por radiação de luz visível com a ajuda de CFCs. Quando a quantidade de ozônio diminui na camada, a capacidade da atmosfera de proteger contra a radiação ultravioleta também diminui. Este fenômeno é conhecido como "buraco" na camada de ozônio.

Com a passagem do tempo, a densidade do ozônio na atmosfera varia em lugares distintos.

O ozônio é produzido sobretudo na camada de ozônio sobre a zona tropical. A partir de Março, é transportado até latitudes mais elevadas. No hemisfério Norte, pode viajar até ao Polo Norte, enquanto no hemisfério sul apenas chega às latitudes entre 50º e 60º, devido às forte correntes em redor do Polo Sul.

A partir de Novembro, a densidade começa a descer gradualmente no hemisfério Sul (visto que aí é verão e a radiação é cada vez maior). A camada de ozônio pode ficar tão fina que o escudo protetor da Terra pode se partir. No entanto, depois de Março, mais e mais ozônio é produzido (visto que a radiação diminui).

O desgaste da camada de ozônio é um processo natural. No entanto, se o ozônio continuar a decompor-se devido à acumulação de CFCs, o buraco se tornará tão grande que será cada vez mais difícil recuperá-lo.

Narração

A camada de ozônio encontra-se aproximadamente entre os 15 e 30 km de altitude acima da superfície da Terra e sua espessura é variável.

É o filtro protetor do nosso planeta e a sua função é absorver a radiação ultravioleta nociva do Sol (UVC). Esta radiação prejudica seriamente a epiderme, a pele dos seres vivos, assim como o seu ADN. Se não existisse a camada de ozônio não haveria vida na Terra. Em geral, existe um equilíbrio dinâmico constante entre os processos de formação e decomposição do ozônio.

A molécula de dois átomos de oxigênio da estratosfera decompõe-se por influência da radiação UVC de grande energia. Esses átomos liberados unem-se com moléculas de oxigênio, formando assim moléculas de ozônio de três átomos. Estas moléculas são instáveis e decompõem-se devido à radiação ultravioleta.

Atualmente, o equilíbrio entre a formação e a decomposição do ozônio deteriorou-se pela atividade humana. Nas últimas décadas, a camada de ozônio começou a desgastar-se por causa de atividades industriais que emitem compostos químicos nocivos para a atmosfera, como o cloro, o flúor e o bromo. O termo "buraco na camada de ozônio" não significa que haja um verdadeiro espaço vago na camada, mas sim que ela tem vindo a ficar mais fina.

O ponto mais critico da camada de ozônio está localizado acima da Antártida. Ali, a espessura é cerca de um terço da ideal. Também há um desgaste significativo acima do Polo Norte.

Extras relacionados

Águas subterrâneas

As águas pluviais, os aquíferos e as águas artesianas são diferentes tipos de massas de...

Terremoto

O terremoto é um dos fenômenos naturais mais devastadores.

O trabalho dos glaciares

O glaciar é uma grande massa de gelo em movimento constante e lento deslizando nas encostas.

Os efeitos de massas de água que fluem nas montanhas

Quanto maior é a descarga e a velocidade da água, maior é a força que dá forma à superfície.

Rocha sedimentar

Você sabia que cerca de 75% da massa terrestre do nosso planeta está coberta por rochas...

Oásis

Dentro do abraço letal dos desertos, a vida só pode florescer por causa de grandes fontes. Aqui...

Radiação solar

Os raios do Sol viajam pelo espaço sem interrupção, mas quando atingem a atmosfera da Terra,...

Vamos assistir as auroras!

Vamos descobrir fatos interessantes sobre a flora e a fauna das regiões polares e as...

Added to your cart.