O teu carrinho de compras está vazio

Loja

Quantidade: 0

Total: 0,00

0

Tsunami

Tsunami

Os tsunamis são ondas enormes com um imenso poder de destruição.

Geografia

Palavras-chave

tsunâmi, terramoto, maremoto, mar, onda, onda de grande comprimento, alerta de tsunami, placa tectónica, epicentro, tectónica, desastre, natureza, geografia

Extras relacionados

Cenas

Terramoto

  • Placa Africana
  • Placa Euroasiática
  • Placa Arábica
  • Placa Índica
  • Placa Norte-Americana
  • Placa Sul-Americana
  • Placa do Pacífico
  • Placa das Caraíbas
  • Placa de Cocos
  • Placa de Nazca
  • Placa Antárctica
  • Placa da Austrália
  • Placa Filipina

Um tsunami é uma série de ondas caracterizadas por um enorme comprimento de onda e período de duração. Formam-se quando uma força repentina provoca alterações ao nível da água. A maioria dos tsunamis forma-se por causa de terramotos submarinos, que ocorrem como resultado da subducção de placas tectónicas.

Quando uma placa tectónica ascende, o seu movimento pode levantar vários quilómetros de água acima de si, originando uma onda gigantesca que pode viajar milhares de quilómetros, carregando a energia do terramoto pelo oceano, até atingir a costa.

Ao contrário das ondas superficiais geradas pelo vento, os tsunamis afetam todo o corpo de água numa dada secção do oceano, o que significa que uma coluna inteira de água de vários quilómetros se move verticalmente numa dada parte do oceano.

O comprimento de onda de uma onda gerada pelo vento oscila entre os 100 e os 200 metros, enquanto o comprimento de onda de um tsunami, em mar aberto de profundidade de 5-6 km, pode alcançar os 500 km. Quando a profundidade do mar é muito menor que o comprimento de onda, a profundidade da água determinará a velocidade de propagação.
Esta é a razão pela qual um tsunami viaja a uma velocidade de cerca de 800 km/h em mar aberto, o que equivale à velocidade de um avião de passageiros. No entanto, a altura da onda não excede 1 metro, o que significa que os navios não reparam nessas ondas.

A diminuição de velocidade das ondas de um tsunami é inversamente proporcional ao seu comprimento de onda. Assim, os tsunamis podem viajar milhares de quilómetros sofrendo uma perda mínima de energia.

A velocidade diminui significativamente em águas pouco profundas perto da costa; a velocidade diminui até 80 km/h em águas com 50 m de profundidade. Como a sua energia é constante, a onda vai crescendo cada vez mais. Eventualmente, ao chegar à costa, o tsunami devastador pode ter dezenas de metros de altura. O período entre as ondas sucessivas do tsunami pode variar entre 10 e 20 minutos.

É frequente um tsunami chegar à costa pelo cocho e não pela crista. Por conseguinte, o mar recua drasticamente da costa, o que é um sinal definitivo de um tsunami. Não obstante, visto que isto ocorre poucos minutos antes da crista atingir a costa, pode ser tarde de mais para evacuar a população.

Se um alerta de tsunami for decretado após a deteção de um terramoto, há cerca de 30-60 minutos para evacuação até à chegada do tsunami, mesmo nas zonas costeiras mais próximas. Nestas alturas, é crucial afastar-se da costa e procurar terrenos mais elevados.

Tsunami

  • placa oceânica
  • placa continental
  • comprimento de onda - A distância entre duas cristas.
  • crista - A parte mais alta de uma onda.
  • cocho - A parte mais baixa entre duas ondas consecutivas.
  • amplitude dupla - A altura da onda.

Tsunami, visto da costa

Vista de cima

Animação

Narração

Um tsunami é uma série de ondas caracterizadas por um enorme comprimento de onda e período de duração. Formam-se quando uma força repentina provoca alterações ao nível da água. A maioria dos tsunamis forma-se por causa de terramotos submarinos, que ocorrem como resultado da subducção de placas tectónicas.

Quando uma placa tectónica ascende, o seu movimento pode levantar vários quilómetros de água acima de si, originando uma onda gigantesca que pode viajar milhares de quilómetros, carregando a energia do terramoto pelo oceano, até atingir a costa.

Ao contrário das ondas superficiais geradas pelo vento, os tsunamis afetam todo o corpo de água numa dada secção do oceano, o que significa que uma coluna inteira de água de vários quilómetros se move verticalmente numa dada parte do oceano.

O comprimento de onda de uma onda gerada pelo vento oscila entre os 100 e os 200 metros, enquanto o comprimento de onda de um tsunami, em mar aberto de profundidade de 5-6 km, pode alcançar os 500 km. Quando a profundidade do mar é muito menor que o comprimento de onda, a profundidade da água determinará a velocidade de propagação.
Esta é a razão pela qual um tsunami viaja a uma velocidade de cerca de 800 km/h em mar aberto, o que equivale à velocidade de um avião de passageiros. No entanto, a altura da onda não excede 1 metro, o que significa que os navios não reparam nessas ondas.

A diminuição de velocidade das ondas de um tsunami é inversamente proporcional ao seu comprimento de onda. Assim, os tsunamis podem viajar milhares de quilómetros sofrendo uma perda mínima de energia.

A velocidade diminui significativamente em águas pouco profundas perto da costa; a velocidade diminui até 80 km/h em águas com 50 m de profundidade. Como a sua energia é constante, a onda vai crescendo cada vez mais. Eventualmente, ao chegar à costa, o tsunami devastador pode ter dezenas de metros de altura. O período entre as ondas sucessivas do tsunami pode variar entre 10 e 20 minutos.

É frequente um tsunami chegar à costa pelo cocho e não pela crista. Por conseguinte, o mar recua drasticamente da costa, o que é um sinal definitivo de um tsunami. Não obstante, visto que isto ocorre poucos minutos antes da crista atingir a costa, pode ser tarde de mais para evacuar a população.

Se um alerta de tsunami for decretado após a deteção de um terramoto, há cerca de 30-60 minutos para evacuação até à chegada do tsunami, mesmo nas zonas costeiras mais próximas. Nestas alturas, é crucial afastar-se da costa e procurar terrenos mais elevados.

Extras relacionados

Placas tectónicas

As placas tectónicas podem mover-se umas em relação às outras.

Pontos quentes

Nos pontos quentes, o magma sai por extrusão em direção à superfície terrestre, observando-se atividade vulcânica.

Formação do estratovulcão

Os estratovulcões consistem de camadas de cinza vulcânica, piroclastos e lava endurecida.

Atividade vulcânica

A animação mostra os diferentes tipos de erupções vulcânicas.

Características das ondas sonoras

Esta animação explica as características mais importantes das ondas através de ondas sonoras.

Como formam os mares a superfície da Terra?

A água do mar, como força externa, assume um papel importante na formação da costa.

Dobras (avançado)

As forças laterais de compressão das rochas formam dobras. É assim que se formam as montanhas.

Estação de energia maremotriz

As estações de energia maremotriz utilizam a flutuação diária do nível da água para produzir eletricidade.

Mapa do fundo marinho

No fundo marinho podem observar-se os limites das placas tectónicas.

Mares e golfos

Esta animação mostra os principais mares e golfos.

Plataforma petrolífera

Um longo tubo no centro da torre penetra no fundo do oceano até alcançar a camada que contém petróleo.

Terramoto

O terramoto é um dos fenómenos naturais mais devastadores.

Tipos de ondas

As ondas desempenham um papel importante em muitas áreas da nossa vida.

Tornados

Sendo de curta-duração mas, ao mesmo tempo, poderosos, os tornados podem causar danos enormes.

Sistema de defesa contra cheias

O aterro de protecção ou, em caso de enchentes menores, o dique de verão, assegura a protecção contra os danos causados por cheias.

Correntes marítimas

A correia transportadora oceânica é um sistema de correntes marítimas a uma escala planetária, com uma grande influência no clima da Terra.

Maré

Subida e descida do nível da água do mar, causadas pela força gravitacional da Lua.

Added to your cart.