O teu carrinho de compras está vazio

Loja

Quantidade: 0

Total: 0,00

0

Júpiter

Júpiter é o maior planeta do Sistema Solar, com duas vezes e meia a massa de todos os outros planetas juntos.

Geografia

Palavras-chave

Júpiter, sistema de anéis, Sistema Solar, gigante gasoso, planeta exterior, Io, Europa, Ganímedes, Calisto, luas de Júpiter, planeta, Sol, astronomia, geografia

Extras relacionados

Cenas

Sistema solar

  • Sol
  • Mercúrio
  • Vénus
  • Terra
  • Marte
  • Júpiter
  • Saturno
  • Urano
  • Neptuno

Jupiter é o quinto planeta a contar do Sol, o segundo a contar da Terra, e o mais próximo dos planetas exteriores. É o maior planeta do Sistema Solar, com um diâmetro de 142 984 km. Tem duas vezes e meia a massa de todos os outros planetas combinados. É um gigante gasoso, não possuindo uma superfície sólida.

Júpiter

  • eixo de rotação
  • linha perpendicular ao plano orbital
  • plano orbital de Júpiter
  • órbita de Júpiter
  • equador de Júpiter
  • 3.13º
  • sistema de anéis

Dados:

Diâmetro: 142 984 km (11,2 vezes o da Terra)

Massa: 1,90x10²⁷ kg (317,8 vezes a da Terra)

Densidade média: 1,33 g/cm³

Gravidade superficial: 2,364 g

Temperatura superficial: -130 °C

Número de luas: 79

Período de rotação: 9 h 50 m

Inclinação axial: 3,1°

Distância média ao Sol: 778 300 000 km = 5,20 UA = 43,5 minutos-luz

Excentricidade orbital: 0,0484

Período orbital: 11,86 anos

Io

Io:

Distância média a Júpiter:
421 800 km

Período orbital: 1,77 dias

Diâmetro: 3 642,6 km (0,286 vezes o da Terra)

Massa: 8,9319·10²² kg

Densidade média: 3,53 g/cm³

Gravidade superficial: 0,183 g

Europa

Europa:

Distância média a Júpiter:
671 100 km

Período orbital: 3,55 dias

Diâmetro: 3 121,6 km (0,245 vezes o da Terra)

Massa: 4,8x10²² kg

Densidade média: 3,01 g/cm³

Gravidade superficial: 0,134 g

Ganímedes

Ganímedes:

Distância média a Júpiter:
1 070 400 km

Período orbital: 7,16 dias

Diâmetro: 5 262 km (0,413 vezes o da Terra)

Massa: 1,48x10²³ kg

Densidade média: 1,94 g/cm³

Gravidade superficial: 0,146 g

Calisto

Calisto:

Distância média a Júpiter:
1 882 700 km

Período orbital: 16,69 dias

Diâmetro: 4 820,6 km (0,378 vezes o da Terra)

Massa: 1,08x10²³ kg

Densidade média: 1,83 g/cm³

Gravidade superficial: 0,126 g

Secção de Júpiter

  • atmosfera
  • camada de hidrogénio liquído
  • camada de hidrogénio metálico
  • núcleo

Órbita de Júpiter

  • Júpiter
  • Sol
  • distância média ao Sol: 778 300 000 km
  • período orbital: 11,86 anos
  • a órbita de Júpiter

Narração

Tirando o Sol e a Lua, Júpiter é o corpo celeste mais luminoso depois de Vénus. O seu nome deriva do deus principal da mitologia romana, que era o deus do céu, da luz e das tempestades e o rei dos deuses. Ele era o equivalente de Zeus, o deus principal da mitologia grega, o senhor dos deuses e dos homens, líder dos deuses do Olimpo; o seu nome significa "céu brilhante".

Galileu foi o primeiro a observar o planeta através do seu telescópio em 1610. Ele também descobriu as quatro maiores luas de Júpiter, que desde então foram designadas por luas de Galileu, em honra da sua descoberta.

A primeira missão a Júpiter foi realizada pela sonda espacial Pioneer 10 em 1973. Júpiter tem também sido regularmente observado pelo telescópio espacial Hubble. Em 1995, foi lançada uma sonda atmosférica a partir de Galileu em direcção à atmosfera do planeta. Penetrou 150 km, recolhendo e enviando informações antes de ser destruída pelas altas pressões (22 atmosferas) e elevadas temperaturas (153ºC).

Júpiter é o quinto planeta a contar do Sol, o segundo a contar da Terra, e o mais próximo dos planetas exteriores. É o maior planeta do Sistema Solar, com uma diâmetro de 142 984 km. Tem duas vezes e meia a massa de todos os outros planetas combinados.

Júpiter é um gigante gasoso, portanto não possui uma superfície sólida. A sua densidade média é baixa (1,33 g/cm³). Abaixo da camada visível de nuvens estão 1000 km de uma espessa atmosfera rica em hidrogénio, por baixo da qual a pressão pode ser um milhão de vezes maior do que a da Terra, e onde poderá existir um oceano de hidrogénio molecular líquido com 25 000 km de profundidade (de acordo com os modelos). A atmosfera de Júpiter é constituída por hidrogénio (90%) e hélio, mas também contém vestígios de metano, amoníaco e vapor de água. As bandas alternam em coloração, e os ventos nas diferentes faixas têm velocidades diferentes, criando vórtices. A Grande Mancha Vermelha é uma vasta tempestade anticiclónica (dentro da qual a Terra caberia). Foi observada pela primeira vez há mais de 300 anos. Durante os últimos anos, vários cometas e asteróides colidiram com Júpiter. Uma análise dos seus vestígios conduziu a certas hipóteses sobre a atmosfera de Júpiter.

De todos os planetas, a rotação de Júpiter é a mais rápida. Possui uma forte magnetosfera, dez vezes mais forte do que a da Terra. O eixo magnético de Júpiter está inclinado 10° em relação ao eixo de rotação. Algumas das imagens tiradas pelo telescópio Hubble mostram auroras em Júpiter. O planeta irradia o dobro do calor que recebe do Sol; a quantidade de calor produzida no interior do planeta é semelhante ao total de radiação solar que recebe, que provavelmente resulta da energia potencial emitida durante a lenta contracção do planeta. A temperatura do núcleo de Júpiter é aproximadamente 26 000 K.

Júpiter tem um sistema de anéis constituídos por partículas de pó escuras e com menos de 30 km de espessura. As luas de Júpiter foram baptizadas de acordo com os amores e favoritos de Zeus na mitologia grega. As quatro maiores são as luas de Galileu: estas são Io, Ganímedes, Europa e Calisto. Orbitam em torno de Júpiter no seu plano equatorial e têm órbitas aproximadamente circulares. As primeiras imagens detalhadas das suas superfícies foram fornecidas pelas sondas espaciais Voyager.

Há forte actividade vulcânica em Io; a sua superfície apresenta uma topografia variada de caldeiras, montanhas e lagos de enxofre fundido. Io é maioritariamente constituída por rocha, e portanto a sua composição é semelhante à dos planetas telúricos.

A superfície de Europa está coberta por gelo liso e espesso, com estrias que se estendem por toda a superfície. Provavelmente existe um oceano líquido por baixo da camada de gelo, mantendo-se líquido devido ao calor gerado pelo movimento das marés. É semelhante aos planetas telúricos em estrutura e composição.

Ganímedes é a maior lua no sistema solar. O seu diâmetro é ligeiramente maior do que o de mercúrio, mas tem apenas metade da sua densidade. A sua superfície apresenta áreas escuras com crateras e áreas mais recentes, claras, tectonicamente mais activas. A crosta de Ganímedes é composta por gelo.

Não existem camadas distintas no interior de Calisto. De acordo com os dados obtidos pela sonda espacial Galileu, é composta por gelo (40%) e também por rocha e ferro (60%). A superfície de Calisto é a mais antiga do sistema solar; não mudou muito nos últimos 4 mil milhões de anos.

Extras relacionados

Factos geográficos interessantes - Geografia física

Esta animação apresenta vários factos geográficos interessantes dentro do tema da...

Tipos de estrelas

Esta animação mostra o processo de desenvolvimento das estrelas médias e gigantes.

Missão Dawn

O estudo de Ceres e Vesta ajudar-nos-á a saber mais acerca da história do Sistema Solar e...

Planetas no nosso quintal

A lição ilustra o tamanho dos planetas do Sistema Solar e as enormes distâncias entre eles.

Mudança das estações (intermédio)

Devido ao eixo inclinado da Terra, o ângulo dos raios solares está continuamente a mudar...

Símbolos e atracções do mundo

Um jogo acerca dos símbolos e atracções um pouco por todo o mundo.

Fusos horários

A Terra está dividida em 24 fusos horários e cada zona corresponde um horário padrão.

Eclipse solar

Quando o Sol, a Terra e a Lua estão dispostos em linha reta, a Lua pode parcialmente ou...

Added to your cart.