O teu carrinho de compras está vazio

Loja

Quantidade: 0

Total: 0,00

0

Correntes marítimas

Correntes marítimas

A correia transportadora oceânica é um sistema de correntes marítimas a uma escala planetária, com uma grande influência no clima da Terra.

Geografia

Palavras-chave

correntes oceânicas, oceano mundial, mar, oceano, correia transportadora oceânica, corrientes, vento, circulação atmosférica, força de Coriolis, corrente, ribeiro, vento polar, westerlies, vento alísio, formação de águas profundas, salinidade, densidade, hidrosfera, frio, quente, temperatura, ciclo da água, clima, natureza, geografia física, geografia

Extras relacionados

Perguntas

  • Qual destas correntes é fria?
  • Qual destas correntes é quente?
  • Qual destas correntes é fria?
  • Qual destas correntes é fria?
  • Qual destas correntes é fria?
  • Qual destas correntes é quente?
  • Qual destas correntes é quente?
  • Qual destas correntes é quente?
  • Em que direção é que o efeito Coriolis desvia os materiais móveis no hemisfério Sul?
  • As correntes marítimas são classificadas através de que critério?
  • Quanto tempo demora uma molécula de água a completar uma volta completa em torno da correia transportadora oceânica?
  • Em que direção é que o efeito Coriolis desvia os materiais móveis no hemisfério Norte?
  • Que efeito exercem as correntes marítimas no clima da Terra?
  • O que move as correntes marítimas?

Cenas

Correntes marítimas

  • Círculo Polar Ártico
  • Trópico de Câncer
  • Equador
  • Trópico de Capricórnio
  • Círculo Polar Antártico
  • Pólo Sul
  • Polo Norte
  • Oceano Atlântico
  • Oceano Pacífico
  • Oceano Índico
  • Oceano Ártico
  • Corrente das Canárias
  • Corrente da Guiné
  • Corrente de Labrador
  • Corrente do Golfo
  • Corrente da Gronelândia Oriental
  • Corrente Norte Equatorial
  • Corrente Sul Equatorial
  • Corrente do Brasil
  • Corrente de Benguela
  • Corrente da Califórnia
  • Corrente de Oyashio
  • Corrente de Kuroshio
  • Corrente de Kuril
  • Contracorrente Equatorial
  • Corrente de Humboldt
  • Corrente da Somália
  • Corrente das Agulhas
  • Ventos do oeste
  • Corrente da Austrália Ocidental
  • Corrente da Austrália Oriental
  • Corrente das Caraíbas
  • Corrente da China
  • Corrente da Noruega
  • Corrente Circumpolar Antártica
  • ventos polares de nordeste
  • ventos do oeste
  • ventos alísios de nordeste
  • ventos alísios de sudeste
  • ventos polares de sudeste

Definição da terminologia:

Circulação atmosférica: na Terra é possível distinguir três principais sistemas de ventos em cada hemisfério, como consequência do movimento atmosférico entre zonas com diferentes pressões de ar. Os ventos alísios de este prevalecem no Equador, enquanto os ventos ocidentais e os ventos polares orientais encontram-se em latitudes mais altas.

Ventos alísios: ventos que sopram entre os trópicos e se formam perto da superfície. Circulam numa área de alta pressão, situada nos 30º de latitude até às baixas pressões perto do Equador. Devido ao efeito Coriolis, causado pela rotação da Terra, os ventos de nordeste sopram no hemisfério Norte, enquanto no hemisfério sul adotam a direção sudeste.

Ventos do oeste: ventos preponderantes entre as latitudes da zona de altas pressões aos 30º de latitude e de baixas pressões aos 60º de latitude.

Ventos polares de este: ventos que sopram desde zonas de alta pressão dos pólos até aos círculos polares. Devido ao efeito Coriolis, causado pela rotação da Terra, no hemisfério Norte sopram ventos de Nordeste, enquanto no hemisfério Sul adotam a direção Sudeste.

Força Coriolis: força de inércia produzida pela rotação da Terra. O efeito Coriolis faz com que a direção do movimento dos materiais móveis se desvie para a direita no hemisfério Norte (sentido dos ponteiros do relógio) e para a esquerda no hemisfério Sul (sentido contrário aos ponteiros do relógio).

Correntes de profundidade

  • Equador
  • corrente superficial
  • latitude 50º
  • afloramento de água fria
  • corrente de profundidade

Definição da terminologia:

Circulação atmosférica: na Terra é possível distinguir três principais sistemas de ventos em cada hemisfério, como consequência do movimento atmosférico entre zonas com diferentes pressões de ar. Os ventos alísios de este prevalecem no Equador, enquanto os ventos ocidentais e os ventos polares orientais encontram-se em latitudes mais altas.

Ventos alísios: ventos que sopram entre os trópicos e se formam perto da superfície. Circulam numa área de alta pressão, situada nos 30º de latitude até às baixas pressões perto do Equador. Devido ao efeito Coriolis, causado pela rotação da Terra, os ventos de nordeste sopram no hemisfério Norte, enquanto no hemisfério sul adotam a direção sudeste.

Ventos do oeste: ventos preponderantes entre as latitudes da zona de altas pressões aos 30º de latitude e de baixas pressões aos 60º de latitude.

Ventos polares de este: ventos que sopram desde zonas de alta pressão dos pólos até aos círculos polares. Devido ao efeito Coriolis, causado pela rotação da Terra, no hemisfério Norte sopram ventos de Nordeste, enquanto no hemisfério Sul adotam a direção Sudeste.

Força Coriolis: força de inércia produzida pela rotação da Terra. O efeito Coriolis faz com que a direção do movimento dos materiais móveis se desvie para a direita no hemisfério Norte (sentido dos ponteiros do relógio) e para a esquerda no hemisfério Sul (sentido contrário aos ponteiros do relógio).

Correia transportadora oceânica

Definição da terminologia:

Circulação atmosférica: na Terra é possível distinguir três principais sistemas de ventos em cada hemisfério, como consequência do movimento atmosférico entre zonas com diferentes pressões de ar. Os ventos alísios de este prevalecem no Equador, enquanto os ventos ocidentais e os ventos polares orientais encontram-se em latitudes mais altas.

Ventos alísios: ventos que sopram entre os trópicos e se formam perto da superfície. Circulam numa área de alta pressão, situada nos 30º de latitude até às baixas pressões perto do Equador. Devido ao efeito Coriolis, causado pela rotação da Terra, os ventos de nordeste sopram no hemisfério Norte, enquanto no hemisfério sul adotam a direção sudeste.

Ventos do oeste: ventos preponderantes entre as latitudes da zona de altas pressões aos 30º de latitude e de baixas pressões aos 60º de latitude.

Ventos polares de este: ventos que sopram desde zonas de alta pressão dos pólos até aos círculos polares. Devido ao efeito Coriolis, causado pela rotação da Terra, no hemisfério Norte sopram ventos de Nordeste, enquanto no hemisfério Sul adotam a direção Sudeste.

Força Coriolis: força de inércia produzida pela rotação da Terra. O efeito Coriolis faz com que a direção do movimento dos materiais móveis se desvie para a direita no hemisfério Norte (sentido dos ponteiros do relógio) e para a esquerda no hemisfério Sul (sentido contrário aos ponteiros do relógio).

Modelo ideal

  • oceano único hipotético
  • continente único hipotético

Definição da terminologia:

Circulação atmosférica: na Terra é possível distinguir três principais sistemas de ventos em cada hemisfério, como consequência do movimento atmosférico entre zonas com diferentes pressões de ar. Os ventos alísios de este prevalecem no Equador, enquanto os ventos ocidentais e os ventos polares orientais encontram-se em latitudes mais altas.

Ventos alísios: ventos que sopram entre os trópicos e se formam perto da superfície. Circulam numa área de alta pressão, situada nos 30º de latitude até às baixas pressões perto do Equador. Devido ao efeito Coriolis, causado pela rotação da Terra, os ventos de nordeste sopram no hemisfério Norte, enquanto no hemisfério sul adotam a direção sudeste.

Ventos do oeste: ventos preponderantes entre as latitudes da zona de altas pressões aos 30º de latitude e de baixas pressões aos 60º de latitude.

Ventos polares de este: ventos que sopram desde zonas de alta pressão dos pólos até aos círculos polares. Devido ao efeito Coriolis, causado pela rotação da Terra, no hemisfério Norte sopram ventos de Nordeste, enquanto no hemisfério Sul adotam a direção Sudeste.

Força Coriolis: força de inércia produzida pela rotação da Terra. O efeito Coriolis faz com que a direção do movimento dos materiais móveis se desvie para a direita no hemisfério Norte (sentido dos ponteiros do relógio) e para a esquerda no hemisfério Sul (sentido contrário aos ponteiros do relógio).

Ventos dominantes

Animação

Uma corrente marítima é um movimento contínuo de água do oceano numa direção, gerada pelo vento e pelas diferenças na densidade da água. As correntes marítimas movem-se por influência dos ventos que sopram predominantemente numa só direção. Estes ventos são os ventos alísios, os ventos de oeste e os ventos polares. A direção destes ventos é determinada pela força gerada pela rotação da Terra: o efeito Coriolis.

Numa situação hipotética em que a Terra teria apenas um oceano e um continente, os ventos alísios nos Trópicos empurrariam as centenas de metros superiores de água de Este para Oeste. A corrente dividir-se-ia em dois ao chocar contra o continente; uma parte dela fluiria para trás ao largo do Equador, enquanto o resto mudaria de direção para o nordeste ou sudeste, em direção aos ventos de Oeste.

Se estes ramos voltassem ao continente, dividir-se-iam outra vez. Algumas das correntes viajariam até ao Equador, enquanto outras mudariam de direção e viajariam para Oeste, devido ao efeito dos ventos polares de Este. Desta maneira, tanto no hemisfério norte como no hemisfério sul, formar-se-iam duas rotações, que se juntariam e moveriam em direções opostas.

A forma e posição irregulares dos continentes modifica as correntes marítimas. Por exemplo, no hemisfério Sul, a segunda rotação pode viajar em torno da Terra na zona dos ventos de Oeste sem entrar em contacto com continentes.

As correntes que se movem a partir do Equador até aos pólos geográficos e carregam água mais quente que as águas circundantes, chamam-se correntes marítimas quentes. As correntes que viajam dos pólos até ao Equador e transportam água mais fria que as águas circundantes, são chamadas correntes marítimas frias.

As correntes de água movem-se horizontal e verticalmente. A animação mostra as correntes superficiais e profundas de um oceano idealizado. O movimento vertical é resultado das diferenças de temperatura e salinidade. A água quente perto do Equador tem mais sal e densidade devido à evaporação. Ao mover-se para Norte, a água arrefece, enquanto o seu nível de salinidade se mantém constante. Visto que a sua densidade é superior à da massa de água inferior, a água da superfície afunda-se e flui até ao Equador, formando uma corrente marítima fria e profunda. Aqui, o corpo de água fria eleva-se, fechando o ciclo.

Na verdade, as correntes superficiais e profundas dos oceanos formam um sistema global, chamado correia transportadora oceânica. As águas profundas fluem mais intensamente na massa de água profunda do Atlântico Norte, que se encontra na parte oriental do oceano Atlântico Norte, perto do final da corrente do Golfo. Aqui, afunda-se e continua a fluir para sul como corrente de água fria. Viaja em torno de quase todo o planeta e surge à superfície perto dos oceanos Índico e Pacífico, continuando a sua viagem como corrente de água quente. A viagem de uma molécula de água pelo planeta pode durar até mil anos.

As correntes marítimas têm um impacto significativo no clima da Terra. As zonas costeiras que estas correntes alcançam têm uma temperatura média anual mais alta perto das correntes marítimas quentes. A temperatura média perto das correntes de água fria é mais baixa que a temperatura média da respetiva latitude. Por exemplo, a temperatura média anual da Europa Ocidental seria 5 a 10 graus centígrados menor sem a corrente do Golfo.

Narração

Uma corrente marítima é um movimento contínuo de água do oceano numa direção, gerada pelo vento e pelas diferenças na densidade da água. As correntes marítimas movem-se por influência dos ventos que sopram predominantemente numa só direção. Estes ventos são os ventos alísios, os ventos de oeste e os ventos polares. A direção destes ventos é determinada pela força gerada pela rotação da Terra: o efeito Coriolis.

Numa situação hipotética em que a Terra teria apenas um oceano e um continente, os ventos alísios nos Trópicos empurrariam as centenas de metros superiores de água de Este para Oeste. A corrente dividir-se-ia em dois ao chocar contra o continente; uma parte dela fluiria para trás ao largo do Equador, enquanto o resto mudaria de direção para o nordeste ou sudeste, em direção aos ventos de Oeste.

Se estes ramos voltassem ao continente, dividir-se-iam outra vez. Algumas das correntes viajariam até ao Equador, enquanto outras mudariam de direção e viajariam para Oeste, devido ao efeito dos ventos polares de Este. Desta maneira, tanto no hemisfério norte como no hemisfério sul, formar-se-iam duas rotações, que se juntariam e moveriam em direções opostas.

A forma e posição irregulares dos continentes modifica as correntes marítimas. Por exemplo, no hemisfério Sul, a segunda rotação pode viajar em torno da Terra na zona dos ventos de Oeste sem entrar em contacto com continentes.

As correntes que se movem a partir do Equador até aos pólos geográficos e carregam água mais quente que as águas circundantes, chamam-se correntes marítimas quentes. As correntes que viajam dos pólos até ao Equador e transportam água mais fria que as águas circundantes, são chamadas correntes marítimas frias.

As correntes de água movem-se horizontal e verticalmente. A animação mostra as correntes superficiais e profundas de um oceano idealizado. O movimento vertical é resultado das diferenças de temperatura e salinidade. A água quente perto do Equador tem mais sal e densidade devido à evaporação. Ao mover-se para Norte, a água arrefece, enquanto o seu nível de salinidade se mantém constante. Visto que a sua densidade é superior à da massa de água inferior, a água da superfície afunda-se e flui até ao Equador, formando uma corrente marítima fria e profunda. Aqui, o corpo de água fria eleva-se, fechando o ciclo.

Na verdade, as correntes superficiais e profundas dos oceanos formam um sistema global, chamado correia transportadora oceânica. As águas profundas fluem mais intensamente na massa de água profunda do Atlântico Norte, que se encontra na parte oriental do oceano Atlântico Norte, perto do final da corrente do Golfo. Aqui, afunda-se e continua a fluir para sul como corrente de água fria. Viaja em torno de quase todo o planeta e surge à superfície perto dos oceanos Índico e Pacífico, continuando a sua viagem como corrente de água quente. A viagem de uma molécula de água pelo planeta pode durar até mil anos.

As correntes marítimas têm um impacto significativo no clima da Terra. As zonas costeiras que estas correntes alcançam têm uma temperatura média anual mais alta perto das correntes marítimas quentes. A temperatura média perto das correntes de água fria é mais baixa que a temperatura média da respetiva latitude. Por exemplo, a temperatura média anual da Europa Ocidental seria 5 a 10 graus centígrados menor sem a corrente do Golfo.

Extras relacionados

Formação do estratovulcão

Os estratovulcões consistem de camadas de cinza vulcânica, piroclastos e lava endurecida.

Relevo cárstico (básico)

As formações cársticas incluem dolinas e grutas calcárias.

A tundra: um deserto gelado com partes verdes

Será a tundra tão fria e deserta como muitas pessoas pensam?

O deserto

Os desertos ocupam um terço da superfície terrestre. A desertificação é atualmente um problema...

A formação do nevoeiro

O nevoeiro é um tipo de nuvem que se forma perto da superfície da Terra. Existem lugares na...

Atividade vulcánica

A área circundante de um vulcão inativo ou extinto não está calmo necessariamente. Vejamos os...

Ciclo do carbono

Durante a fotossíntese, o carbono fica retido em matéria orgânica, sendo libertado para a...

The Formation of the Atacama

The Atacama Desert is the highest-elevation and dryest desert on Earth.

Added to your cart.